Portal Oficial - Instituto Nacional de Estatística
      
 

COVID-19: uma leitura do contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia - Dados até 7 de outubro
Indicadores de contexto para a pandemia COVID-19 em Portugal
COVID-19: uma leitura do contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia - Dados até 7 de outubro
09 de outubro de 2020

Resumo

A expressão da pandemia continua a ser caracterizada por uma elevada heterogeneidade territorial. Alguns dos resultados apurados foram os seguintes:
• Desde o início de março que o número preliminar de óbitos em 2020 para o total do país, aferidos às últimas quatro semanas, se mantém superior ao registado no período homólogo de referência (média para o mesmo período em 2018 e 2019). Em 186 dos 308 municípios portugueses em que reside 76% da população, o número de óbitos entre 31 de agosto e 27 de setembro de 2020 foi superior ao valor homólogo de referência.
• A 7 de outubro registou-se o maior número de novos casos (valores acumulados dos últimos 7 dias) em Portugal: 6 138 novos casos (correspondentes a 6,0 novos casos por 10 mil habitantes). A 4 de outubro foram, pela primeira vez, ultrapassados os 5 618 novos casos registados a 2 de abril (correspondentes a 5,5 novos casos por 10 mil habitantes).
• A 4 de outubro, data da última atualização de dados ao nível do município, existiram no país 5,7 novos casos confirmados de COVID-19 por 10 mil habitantes (últimos 7 dias). Em 44 municípios, este rácio foi superior à média nacional, destacando-se 10 dos 18 municípios da AML: Loures (12,4 novos casos por 10 mil habitantes), Odivelas (9,7), Sintra (9,3), Lisboa (8,8), Almada (8,5), Seixal (6,7), Cascais (6,6), Amadora (6,0), Vila Franca de Xira (5,8) e Oeiras (5,8). Na Área Metropolitana do Porto, apenas o município do Porto (7,2) superava a média de novos casos registada para o total do país.
• A análise focada nas últimas duas semanas destaca o abrandamento da taxa de crescimento do número de novos casos (últimos 7 dias) na AML e na AMP face ao país. Na semana terminada a 4 de outubro esta taxa foi +11,1% na AMP e +8,8% na AML enquanto o crescimento no país foi +21,3%. A importância relativa do número de novos casos (últimos 7 dias) das áreas metropolitanas no país tem vindo a diminuir desde a semana terminada a 20 de setembro (43% na AML e 13% na AMP). No conjunto de sete dias terminado a 4 de outubro, a AML representava 36% dos novos casos do país (28% da população, em 2019) e a AMP reunia 11% (17% da população residente, em 2019).
• No Algarve, metade dos 16 municípios desta região superaram o número de novos casos confirmados por 10 mil habitantes (últimos 7 dias) do país: Alcoutim (50,9) – situação que se destaca entre os municipios do país –, Castro Marim (12,8), Vila Real de Santo António (11,7), Tavira (10,2), Vila do Bispo (9,7), Albufeira (8,2), Portimão (6,5) e Loulé (5,8).
• Salientam-se ainda dois municípios com mais de 30 novos casos confirmados por 10 mil habitantes: Montalegre (44,5) na sub-região do Alto Tâmega e Bragança (31,8) em Terras de Trás-os-Montes.


Destaque
Download do documento PDF (5225 Kb)
Quadros
Excel Excel (139 Kb)