Portal Oficial - Instituto Nacional de Estatística
      
 

Recuperação parcial e mais lenta da atividade económica
Síntese Económica de Conjuntura
Recuperação parcial e mais lenta da atividade económica - Setembro de 2020
20 de outubro de 2020

Resumo

Em setembro, o indicador de sentimento económico na Área Euro (AE) prolongou o perfil de recuperação, embora a um ritmo mais lento, e o indicador de confiança dos consumidores aumentou de forma ténue. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 3,7% e -8,3%, respetivamente (7,6% e 0,3% em agosto).
Em Portugal, não considerando médias móveis de três meses (ver secção seguinte), a informação disponível revela uma contração progressivamente menos intensa da atividade económica entre junho e setembro. Contudo, o ritmo de recuperação foi mais lento em setembro que nos meses anteriores. O indicador de confiança dos Consumidores diminuiu em setembro, tendo o indicador de clima económico continuado a recuperar, à semelhança dos quatro meses anteriores, das fortes reduções verificadas em abril. Os indicadores de confiança aumentaram na Construção e Obras Públicas e nos Serviços, tendo diminuído no Comércio e na Indústria Transformadora.
O montante global de levantamentos nacionais, de pagamentos de serviços e de compras em terminais de pagamento automático na rede multibanco diminuiu 4,5% em setembro, em termos homólogos, após ter registado um decréscimo de 8,1% em agosto. As vendas de veículos automóveis registaram taxas de variação homóloga de -9,4% nos automóveis ligeiros de passageiros, -7,2% nos comerciais ligeiros e -8,6% nos veículos pesados (-0,1%, -40,5% e -7,2% em agosto, respetivamente).
De acordo com as estimativas mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, situou-se em 8,1% em agosto, mais 0,2 pontos percentuais (p.p.) que o valor definitivo registado em julho (5,9% em maio de 2020 e 6,4% em agosto de 2019). A taxa de subutilização do trabalho situou-se em 15,3%, menos 0,3 p.p. que no mês anterior (12,6% no período homólogo de 2019). A estimativa da população empregada (15 a 74 anos), também ajustada de sazonalidade, diminuiu 3,0% em termos homólogos (taxa de -3,1% em julho), mas apresentou um crescimento de 0,5% face ao mês anterior.
A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi -0,1% em setembro (variação nula em agosto), observando-se uma taxa de variação de -0,3% na componente de bens (-0,1% no mês anterior) e uma variação nula na componente de serviços (0,1% em agosto).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.


Destaque
Download do documento PDF (851 Kb)
Quadros
Excel Excel (115 Kb)
ZIP CSV (5 Kb)