Portal Oficial - Instituto Nacional de Estatística
      
 

Consumo privado manteve redução e investimento diminuiu mais intensamente em junho. Exportações nominais aceleraram ligeiramente e a queda das importações atenuou-se
Síntese Económica de Conjuntura
Consumo privado manteve redução e investimento diminuiu mais intensamente em junho. Exportações nominais aceleraram ligeiramente e a queda das importações atenuou-se - Julho de 2012
20 de agosto de 2012

Resumo
Na Área Euro (AE), o PIB em termos reais registou uma variação homóloga de -0,4% no 2º trimestre de 2012 (variação nula no 1º trimestre). Em julho, observou-se um agravamento dos indicadores de sentimento económico e de confiança dos consumidores. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 7,7% e 9,9% (-4,2% e -12,0% em junho), respetivamente.
Em Portugal, de acordo com a estimativa rápida, o PIB em volume apresentou uma taxa de variação homóloga de
-3,3% no 2º trimestre de 2012 (-2,3% no trimestre anterior) e uma variação de -1,2% face ao trimestre precedente. A redução homóloga mais intensa do PIB no 2º trimestre resultou do contributo negativo mais expressivo da procura interna. O indicador de clima económico, disponível até julho, estabilizou, suspendendo o movimento ascendente iniciado em março. O indicador de atividade económica aumentou de forma ténue em junho, interrompendo o forte perfil negativo observado desde setembro de 2010. O indicador de consumo privado registou uma diminuição homóloga intensa em junho, embora estabilizando face ao mês anterior. No mesmo mês, o indicador de FBCF apresentou uma redução ligeiramente mais significativa, em resultado da evolução negativa mais acentuada da componente de construção. Relativamente ao comércio internacional de bens, em termos nominais, as exportações e importações registaram variações homólogas de 6,8% e -8,3% em junho (6,6% e -10,0% no mês anterior), respetivamente.
No 2º trimestre de 2012, a taxa de desemprego situou-se em 15,0% (mais 0,1 p.p. que no trimestre anterior). O emprego por conta de outrem passou de uma variação homóloga de -4,0% no 1º trimestre para -5,0% no 2º trimestre, enquanto o emprego total diminuiu 4,2% nos dois últimos trimestres.
A variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 2,8% em julho (2,7% em maio e junho). Excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, o IPC registou uma taxa de variação homóloga de 1,3% em julho (1,5% no mês anterior). O diferencial entre a variação homóloga do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) de Portugal e da AE situou-se em 0,4 p.p., mais 0,1 p.p. que nos três meses anteriores.

Destaque
Download do documento PDF (947 Kb)