Portal Oficial - Instituto Nacional de Estatística
      
 

Procura interna diminui e importações nominais de bens abrandam expressivamente. Exportações nominais de bens mantêm um crescimento homólogo elevado em Junho
Síntese Económica de Conjuntura
Procura interna diminui e importações nominais de bens abrandam expressivamente. Exportações nominais de bens mantêm um crescimento homólogo elevado em Junho - Julho de 2011
18 de agosto de 2011

Resumo
De acordo com a estimativa rápida divulgada pelo Eurostat, o PIB em termos reais registou variações homólogas de 1,7% no 2º trimestre de 2011, na Área Euro (AE) e na União Europeia (UE27), o que compara com as taxas de 2,5% observadas no trimestre anterior. Em Julho, o indicador de sentimento económico diminuiu e o indicador de confiança dos consumidores recuperou ligeiramente na AE e na UE27. Os preços das matérias-primas e do petróleo voltaram a registar crescimentos homólogos expressivos em Julho, embora desacelerando face ao mês anterior no primeiro caso.
Em Portugal, de acordo com a estimativa rápida, o PIB em volume apresentou uma variação homóloga de -0,9% no 2º trimestre de 2011 (-0,6% no 1º trimestre). Este comportamento terá reflectido uma acentuada diminuição do consumo privado, e particularmente da componente de bens duradouros, e do investimento, com a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) em construção a diminuir expressivamente. Em termos mensais, o indicador de clima económico agravou se em Julho, mantendo o movimento descendente iniciado em Outubro de 2010. O indicador de consumo privado voltou a apresentar uma redução em Junho, embora estabilizando comparativamente ao mês anterior, e o indicador de investimento também voltou a diminuir. Relativamente ao comércio internacional de bens, em termos nominais, as exportações continuaram a registar um crescimento homólogo expressivo (17,4% em Junho e 17,1% no mês anterior), enquanto as importações passaram de uma variação de 11,9% em Maio para 1,9% em Junho, reflectindo parcialmente a importação de equipamento militar em Junho de 2010.
No 2º trimestre de 2011, a taxa de desemprego situou-se em 12,1%, menos 0,3 p.p. que no trimestre anterior, redução que em parte reflectirá efeitos de natureza sazonal. O emprego por conta de outrem passou de uma variação homóloga de -0,7% no 1º trimestre de 2011 para -0,2% no 2º trimestre.
Em Julho, a variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 3,2% (3,4% em Junho). No mesmo mês, excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, a variação homóloga situou-se em 2,1% (2,3% no mês anterior). Os preços das componentes de bens e de serviços do IPC apresentaram crescimentos homólogos de 3,6% e 2,5% em Julho (3,9% e 2,6% em Maio), respectivamente. O diferencial entre a variação homóloga do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) de Portugal e a da AE diminuiu 0,1 p.p. em Julho, situando-se em 0,5 p.p..

Destaque
Download do documento PDF (360 Kb)