Portal Oficial - Instituto Nacional de Estatística
      
 

Em 2017, o VAB da silvicultura diminuiu 2,3% em volume e 1,0% em valor. Em 2018, o saldo da balança comercial dos produtos de origem florestal registou um excedente de 2,6 mil milhões de euros
Contas Económicas da Silvicultura
Em 2017, o VAB da silvicultura diminuiu 2,3% em volume e 1,0% em valor. Em 2018, o saldo da balança comercial dos produtos de origem florestal registou um excedente de 2,6 mil milhões de euros - 2017
27 de junho de 2019

Resumo

O ano de 2017 foi marcado por um conjunto de incêndios de grande dimensão. A superfície florestal ardida aumentou de cerca de 168 mil ha em 2016 para 502 mil ha em 2017, verificando-se um aumento das remoções e uma diminuição do preço da madeira, bem como um crescimento dos serviços silvícolas para níveis máximos. O Valor Acrescentado Bruto (VAB) da silvicultura decresceu, em volume e em valor (2,3% e 1,0%, respetivamente), verificando-se um aumento do consumo intermédio. A produção de cortiça não foi muito afetada pelos incêndios, destacando-se o aumento significativo de preços (+9,1%), que mais do que compensou o decréscimo em volume (-2,9%).
Em 2018, o saldo da balança comercial dos produtos de origem florestal (que inclui os materiais que estão no perímetro das Contas Económicas da Silvicultura (CES) e os produtos industriais de origem florestal) registou um excedente de 2,6 mil milhões de euros, que compara com 2,5 mil milhões de euros observados em 2017. Os produtos à base de cortiça constituíram o grupo com maior destaque, com um excedente comercial de 932,4 milhões de euros, mais 36,3 milhões de euros que em 2017.


Texto integral do Destaque
Download do documento PDF (313 Kb)
Quadros do Destaque
Excel Excel (59 Kb)
ZIP CSV (12 Kb)