Portal Oficial - Instituto Nacional de Estatística
      
 

Competitividade com maior nível de disparidade inter-regional entre as três componentes do desenvolvimento regional
Índice Sintético de Desenvolvimento Regional
Competitividade com maior nível de disparidade inter-regional entre as três componentes do desenvolvimento regional - 2016
26 de junho de 2018

Resumo

Em 2016, de acordo com os resultados do índice sintético de desenvolvimento regional, quatro das 25 regiões NUTS III portuguesas superavam a média nacional em termos de desenvolvimento regional global – as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, a Região de Aveiro e o Cávado.
O retrato territorial do índice de competitividade revela que as regiões com índices mais elevados se concentram no Litoral do Continente. A Área Metropolitana de Lisboa apresentava o índice de competitividade mais elevado, destacando-se das restantes regiões. A Área Metropolitana do Porto, a Região de Aveiro e o Alentejo Litoral também superavam a média nacional. Entre as três componentes do desenvolvimento regional, os resultados para o índice de competitividade nas NUTS III portuguesas apresentavam o maior nível de disparidade regional.
No índice de coesão, os resultados obtidos refletiam um retrato territorial mais equilibrado do que o observado para a competitividade, na medida em que, em oito das 25 regiões NUTS III, o índice de coesão superava a média nacional. Nesta componente do desenvolvimento regional, os resultados relativos a 2016 geram uma imagem territorial de maior coesão no espaço central do Continente e no Litoral norte, destacando-se a Área Metropolitana de Lisboa, o Cávado e a Região de Coimbra com os índices de coesão mais elevados.
Os resultados de 2016 para o índice de qualidade ambiental destacavam as regiões do Interior continental português e as regiões autónomas com desempenhos mais elevados. A média nacional nesta componente era superada por 15 das 25 regiões NUTS III, verificando-se uma disparidade territorial menor do que a observada para as restantes componentes. Terras de Trás-os-Montes era, em 2016, a região NUTS III portuguesa com melhor desempenho no índice de qualidade ambiental.


Texto integral do Destaque
Download do documento PDF (577 Kb)
Quadros do Destaque
Excel Excel (550 Kb)
CSV CSV (2 Kb)